João 1:12 “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome”.

Há uma diferença entre receber ou não receber. É necessário receber e crer em Jesus para ser feito filho de Deus. O Homem tem o poder (o direito) de tornar-se filho de Deus, somente se crer no nome de Jesus.

Todos são filhos de Deus? A Bíblia declara que todos pecaram e ficaram separados de Deus. Quando o Homem recebe Jesus Cristo, nasce de novo e é feito filho de Deus. Então, nem todos são filhos de Deus. Todos são criaturas.

Para João, a fé para salvação é atividade (ação) que as pessoas têm de realizar. A Salvação é pessoal.

A fé não é crer e confiar de modo parado em Jesus e na Sua obra redentora, mas uma consagração amorosa e dedicada que ininterruptamente aproxima-nos Dele como Senhor e Salvador. Temos de caminhar initerruptamente na luz.

Hebreus 7: 25 “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.”

É o Homem que se tem de chegar a Deus e a Jesus Cristo para que possa ser salvo.

Jesus está sentado à direita do poder, porque Deus o Pai, tem todo o poder. Jesus tem todo o poder e autoridade, porque está sentado à direita de Deus.

Em João 1: 12 podemos ver nitidamente como a fé salvítica é tanto um ato instantâneo como uma postura da vida completa e continua.

1. Para alguém tornar-se um filho de Deus, deve receber Jesus.

2. Após este ato de fé de receber Jesus como Salvador, deve haver da parte da pessoa uma ação continua de crer. Por isso devemos perseverar em crer, continuar após o ato inicial de aceitar a Jesus, para que seja salvo.

Mateus 10: 22 “E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.

Não basta receber Jesus um dia, é necessário perseverar em Cristo, até ao fim. Sabemos que a iniquidade se tem multiplicado e, por causa dela, o amor vai-se esfriando, mas temos de manter-nos quentes em fogo (cheios do Espírito Santo). Não podemos ser mornos, pois não podemos permitir que a iniquidade esfrie o nosso amor por Jesus Cristo.

Um aumento incrível de imoralidade, desrespeito e rebeldia contra Deus e abandono dos princípios morais assinalarão os últimos dias. Estamos a viver esses tempos: os princípios estão a ser abalados, nomeadamente a família está a ser tirada.

 

I Timóteo 4:1 “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios”.

Devemos perseverar até ao fim, em crer em Jesus, em santidade. Também, devemos estar sempre congregados e celebrar a Santa Ceia. É nossa responsabilidade, como Filhos de Deus, estar preparados para tomar a Santa Ceia.

 

Marcos 14:22-28 “E, comendo eles, tomou Jesus pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho; e todos beberam dele. E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que por muitos é derramado. Em verdade vos digo que não beberei mais do fruto da vide, até àquele Dia em que o beber novo, no Reino de Deus. E, tendo cantado o hino, saíram para o monte das Oliveiras. E disse-lhes Jesus: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim, porque escrito está: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão. Mas, depois que eu houver ressuscitado, irei adiante de vós para a Galileia.

A Santa Ceia é uma lembrança, é o recordar do sacrifício de Jesus crucificado por nós. Ao recebermos o pão e o vinho, temos comunhão com Jesus, sendo nós participantes da Sua carne e sangue e dos benefícios que advêm da Sua morte.

Antes de Jesus Cristo deixar a Terra, Ele estabeleceu duas ordenanças para a igreja local. Elas são o Batismo e a Santa Ceia. Nenhuma uma ordenança tem qualquer poder salvador, mas é um complemento. O batismo é uma ordenança de identificação, enquanto a Santa Ceia é uma ordenança de comemoração!

 

MOTIVOS PARA PARTICIPAR NA SANTA CEIA:

1. Ser obediente a Jesus.

Mateus 26:26 “Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.”

 

2. Em memória à morte de Jesus.

Lucas 22:19 “E, tomando o pão e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isso em memória de mim.”

I Coríntios 11: 24-25 “e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.”

 

3. Para confessar que, pelo sangue de Jesus, temos o perdão.

Mateus: 26:28 “Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.”

 

4. Para ter comunhão com Cristo e com os crentes.

Uma comunhão pura, santa, saudável, sem contenda, sem murmuração, sem guerra.

I Coríntios 10:16-17 “Porventura, o cálice de bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é, porventura, a comunhão do corpo de Cristo? Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo; porque todos participamos do mesmo pão.”

Jesus é o pão da vida.

 

5. Para participar da vida eterna.

João 6: 54-56, 58 “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último Dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu, nele. Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre.

Precisamos de viver crendo continuamente no regresso de Jesus e em intimidade de com Deus.

 

6. Para oferecer gratidão e adoração.

Apocalipse 5:9, 13-14 “E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação; E ouvi a toda criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono e ao Cordeiro sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre. E os quatro animais diziam: Amém! E os vinte e quatro anciãos prostraram-se e adoraram ao que vive para todo o sempre.”

Adoramo-Lo, servimo-Lo porque estamos gratos por aquilo que Ele fez. Somos gratos pela salvação, pela vida eterna.

 

7. Para anunciar a volta do Jesus.

I Coríntios 11:26 “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha.

A Santa Ceia é um momento de reflexão, lembranças e alegria! É necessário participar da Santa Ceia com o coração agradecido, cheio de amor, reconhecido de nossas próprias fraquezas, mas purificados.

Portanto, participe dos elementos com confiança, arrependido, humilde e cheio de amor, e será profundamente abençoado pelo Senhor.

Pode rever o vídeo que disponibilizamos abaixo, ou ouvir o podcast em: https://anchor.fm/apantonioferreira

 

Phone: +351 234 308 422
3800-587 Cacia - Aveiro
Rua da Paz, Nº 263, Lote 9