Todo o ser humano tem de ser amado e tem necessidade de amar e ser aceite.

Deus criou-nos à Sua imagem e semelhança. Fomos criados pelo nosso Deus, o nosso Pai Celestial, que é bondade, misericórdia, Santo, Justo, formoso, majestoso, omnipresente, omnipotente, omnipresente, puro, verdadeiro e eterno.

Deus é amor, a Sua natureza e a Sua essência é amor. Deus criou Adão e Eva e rodeou-os de todo o suprimento, provisão e riqueza. Pela influência da religião, as pessoas imaginam um Deus que não pode fazer nada, um Deus que apenas exige e que é contra a bênção.

Génesis 2:9-15 “E o Senhor Deus fez brotar da terra toda árvore agradável à vista e boa para comida, e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore da ciência do bem e do mal.E saía um rio do Éden para regar o jardim; e dali se dividia e se tornava em quatro braços. O nome do primeiro é Pisom; este é o que rodeia toda a terra de Havilá, onde há ouro. E o ouro dessa terra é bom; ali há o bdélio e a pedra sardônica. E o nome do segundo rio é Giom; este é o que rodeia toda a terra de Cuxe. E o nome do terceiro rio é Hidéquel; este é o que vai para a banda do oriente da Assíria; e o quarto rio é o Eufrates. E tomou o Senhor Deus o homem e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.”

Quando Deus criou o Homem, Ele não o colocou num lugar deserto. Ao contrário, Ele preparou um lugar, rodeou-o de ouro, pedras preciosas. Preparou um lugar de deleite e prazer, de comunhão, companheirismo, poder, autoridade, domínio, vida, paz transbordante e alegria… Ali estava a atmosfera do Céu, ali estava a Sua glória, a Sua Presença.

O Homem foi destituído desta glória, desta realidade, por causa de um ato de desobediência. Não perdeu porque não sabia, mas por uma decisão da sua vontade. Escolheu experimentar e escutar o conselho do seu pior inimigo, o diabo. Nunca oiças o seu conselho. Se tens a Palavra de Deus e a estudas, vais perceber que há conselhos que não têm valor e não vêm da parte de Deus. Não ter conhecimento de Deus, nem da Sua Palavra é um ponto fraco que permite que o inimigo possa operar e destruir.

Depois do pecado, Adão e Eva passaram a ser escravizados pelo autor que os levou à desobediência. Como resultado, perderam a Glória de Deus e, em troca, receberam morte, separação de Deus, medo, maldição… Mas Deus, o Deus de amor, não nos abandonou. Ele mesmo, na pessoa de Jesus, Seu Filho, veio a esta Terra, fez-se homem e pagou o preço dos nossos pecados, ao dar a Sua vida por nós, sendo pregado na Cruz. O inocente foi pregado na Cruz em nosso lugar. Mereciamos a morte, mas aqui está o amor de Deus.

Romanos 5:8 “Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.”

Através de Cristo e somente Nele, somos reconciliados, perdoados, justificados e temos paz com Deus. Nele está o amor.

 

1 João 4:10 “Nisto está o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.”

Nós amamos a Deus porque Ele nos amou primeiro. Somos amados e, da mesma maneira, também nos devemos amar uns aos outros.

 

1 João 4:7 “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.”

Só quem ama é que conhece a Deus. Se nos amarmos uns aos outros, o mundo vai saber que somos discípulos de Jesus.

O amor de Deus é perfeito, genuíno e verdadeiro. O amor natural é condicional, pois sempre quer algo em troca, não é perfeito.

Por que é que Deus nos deveria amar? Éramos seus inimigos, cometiamos obras más, éramos mentirosos, transgressores, idólatras, cheios de maldade e desobediência. Nada era atrativo em nós para que Deus nos desejasse. Mas o Seu amor é grande e dura para sempre. O Seu amor é perfeito e incondicional. Amou-nos quando ainda éramos pecadores. Ele derramou esse amor em nós, pelo Poder do Espírito Santo. Quando temos Cristo, temos este amor. Á medida que esse amor cresce em nós, tornamo-nos mais maduros, mais parecidos com Cristo, vamos crescendo à medida e estatura varonil de Cristo.

 

Romanos 5:5 “E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.”

A Esperança em Cristo não traz confusão, porque o amor perfeito, libertador e poderoso de Deus, está derramado em nosso coração. O perfeito amor de Deus cria em nós uma expectativa de fé e confiança. Essa esperança não é conforme a nossa mente e a nossa mente não está confusa, porque estamos cheios de expectativa.

 

O perfeito amor de Deus lança fora o temor.

1 João 4:18 “No amor, não há temor; antes, o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena (tormento), e o que teme não é perfeito em amor.”

O medo traz tormento, paralisa. O medo está sempre à procura de uma justificação para o erro cometido. O medo leva as pessoas a não serem reais, verdadeiras, por medo da rejeição e da não aceitação. O próprio Adão, após pecar, também se escondeu por medo. Este é uma arma do inimigo para nos derrotar. O medo não nos permite crer no amor que Deus nos tem, porque achamos que não é real para connosco. Ninguém merece o amor de Deus, mas ele está disponível para todos. O medo leva o Homem a esconder-se da Presença de Deus. O medo torna-nos covardes, leva-nos a fugir, não nos deixa ir à batalha, porque o medo paralisa. Se cremos no medo, já vemos a derrota. O medo faz-nos fugir das circunstâncias, mas o perfeito amor de Deus faz de nós conquistadores. O amor de Deus leva-nos a ir à batalha porque sabemos quem caminha connosco. Andar no amor de Deus é andar com Deus.

O medo vê a derrota antes de ser consumada. Contrariamente, a fé vê a vitória antes desta ser concretizada. O medo amplia as circunstâncias negativas. O medo afasta-nos da vitória, não nos permite conquistar a Terra Prometida. O medo teme a perseguição por causa de Cristo. O medo impede-nos de confessar as culpas uns aos outros, por medo da imagem. Mas quando o amor de Deus é derramado em nós, temos ousadia para pedir perdão e perdoar.

O medo bloqueia a nossa fé. Jesus sabia-o. Quando Jesus ia a caminho da casa de Jairo, foi interrompido por uma mulher que tinha um fluxo de sangue, desenganda pelos médicos que dizia “se somente tocar nas suas vestes sararei”. Ela tinha uma confissão de vitória. A fé tem uma confissão de acordo com a Palavra de Deus. A morte e a vida está no poder da tua língua. Aquilo que falamos é o que vamos colher.

O diabo leva-nos a dizer que ninguém gosta de nós, que não vamos conseguir. O problema é quando pronunciamos estas palavras, porque elas vão materializar-se. Então, temos de falar vida e não morte, é necessário bendizer e não maldizer.

A nossa fé vai fazer com que o Céu se mova a nosso favor. A nossa declaração de vida, da Palavra de Deus, vai por o Céu a mover a nosso favor. Quando nos aproximamos de Deus por fé, o poder Dele vai ser desatado sobre a nossa vida. Deus não responde a passividade, Jesus responde a quem toma posse das Suas Promessas.

Jesus demorou-se na viagem e chegaram os mensageiros de Jairo, que o informaram que a sua filha tinha morrido. Porém, Jesus disse: “não temas!”, pois o temor ia paralisá-lo e impedir Cristo de operar um milagres.

 

Isaías 41:10 não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.”

Quando tomamos a consciência que Deus está connosco, não vamos temer.

 

1 Coríntios 13:1-7 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Ninguém pode dizer que está cheio do amor de Deus e não demonstrá-lo ou expressá-lo. Se não temos as motivações corretas, se não é o amor de Deus que nos move, não vamos ter proveito nenhum. O amor de Deus afirma-nos, enche-nos, é perfeito.

 

Gálatas 5:6 “…a fé que opera por amor.”

Precisamos estar cheios do amor de Deus para que nossa fé nos leve a conquistar.

 

As nossas palavras conectam-nos com a bênção ou com a maldição.

Efésios 4:27-32 Não deis lugar ao diabo. Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o Dia da redenção. Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda malícia seja tirada de entre vós. Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.”

O diabo procura um momento legal para ter lugar na nossa vida. Se lhe demos uma posição, um lugar para entrar na nossa vida, ele vai conectar-nos com a nossa falha. Por exemplo, se temos falta de perdão, o amor não flui e a fé é bloqueada e o inimigo conecta-nos com enfermidade, pobreza… porque o diabo veio para roubar, matar e destruir.

As palavras torpes conectam-nos ao inimigo e roubam as bênçãos de Deus da nossa vida.  Não podemos entristecer o Espírito Santo porque a bênção é ministrada por Ele. Podemos concetar-nos è bênção ou à maldição. A amargura, ira, cólera, gritaria, blasfémia e malícia devem ser retiradas de nós, porque isso destrói a nossa vida. A armargura é o resultado do ressentimento, da falta de perdão que leva à maldição. Esta é uma legalidade que não podemos dar ao inimigo. Antes, devemos ser benignos, misericordiosos, perdoadores como Deus também o é para nós.

Quanto mais cheio do amor de Deus, menos o medo se instala na nossa vida. Expulsemos o medo da nossa vida.

 

Pode rever a última lição desta série no vídeo que disponibilizamos abaixo, ou ouvir o podcast em: https://anchor.fm/apantonioferreira

Phone: +351 234 308 422
3800-587 Cacia - Aveiro
Rua da Paz, Nº 263, Lote 9